O Instituto de Pesquisa Económica Aplicada (IPEA) anunciou, a redução da expectativa de crescimento da economia brasileira em 2020, de 2,5 para 2,1%. A perspectiva de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto)
em 2019 foi mantida em 0,8%.
Segundo o director de Estudos e Políticas Macroeconómicas do instituto, José Ronaldo Souza Júnior, uma frustração nas expectativas de melhora da confiança e incertezas no cenário externo
levaram a revisão para 2020.
“Há uma melhoria na confiança, mas ela é mais lenta do que a gente esperava”, afirmou. “O efeito [na economia] vai
ocorrer mais ao longo de 2020”.
A projecção de inflação para 2019 foi reduzida de 3,9 para 3,55%. Para 2020, se mantém em 3,9. O Ipea prevê ritmo mais acelerado de queda de juros, que chegaria ao fim do ano em 4,75% - está em 5,5% - mantendo-se
nesse patamar em 2020.
Em boletins divulgados, economistas do instituto avaliam que a retomada da economia continua lenta e defendem novas reformas e a manutenção do tecto de gastos para acelerar o crescimento.
Os indicadores de PIB de Agosto, diz o Ipea, mostram sinais de enfraquecimento. “Análise do desempenho da actividade económica confirma o ritmo lento de retomada do crescimento”,
afirmou, em nota, o instituto.
Após a divulgação do PIB do II trimestre, que teve alta de 0,4%, a produção industrial recuou 0,3% em Julho e deve
permanecer estável em Agosto.