O Produto Interno Bruto (PIB) de Cabo Verde registou, no III trimestre de 2019, em termos homólogos, um aumento de 6,7 por cento, em volume, resultante de um maior contributo das despesas do consumo final e das exportações.
As contas trimestrais, divulgadas pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), referentes aos meses de Julho, Agosto e Setembro de 2019, mostram ainda que, do lado da oferta, o Valor Acrescentado Bruto (VAB), a preços de base, apresentou uma evolução homóloga positiva de 7,5 por cento, destacando-se, a este nível, “as actividades dos transportes aéreos e da construção”.
Já os impostos líquidos de subsídios apresentaram, entretanto, uma evolução homóloga de 2,1 por cento.
Especificando os dados, no que toca ao PIB, regista-se, como referido, uma variação homóloga de 6,7 por cento, em termos reais, e “uma taxa superior em 0,5 pontos percentuais (p.p.) à verificada no II trimestre de 2019”.
“O consumo privado aumentou 7,7 por cento, em termos reais, no III trimestre de 2019, contra 2,9 por cento no trimestre anterior”.
A mesma taxa de variação homóloga, 7 por cento foi registada também no consumo público, “o que se traduziu numa aceleração, face à variação negativa de 14,2 por cento, registada no trimestre anterior”.
O investimento registou uma variação negativa de 4,7 por cento em volume, contra 0,3 por cento notada no trimestre anterior.
No período em referência, as exportações e importações aumentaram 11,6 por cento, contra 8,5 por cento no trimestre anterior e 3,9 por cento, respectivamente, em termos de volume.
A dívida pública de Cabo Verde atingiu, no III trimestre deste ano, 120 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), um valor superior em dois pontos percentuais relativamente ao mesmo período de 2018.
O ‘stock’ da dívida pública corresponde a um saldo orçamental de cerca de 2,154 milhões de euros.