O modelo de gestão participativa e satisfação das necessidades dos munícipes exige da administração municipal do Lubango, província da Huíla, a interacção com a população, a fim de encontrar as melhores soluções para se debelarem os problemas que ainda existem na zona, segundo o administrador local, Armando Vieira. Para este ano, o ordenamento do território constitui ainda a prioridade da administração municipal do Lubango, sendo que a sua direcção vai reflectir sobre a divisão administrativa do município. O administrador municipal do Lubango informou que o Governo dá prioridade à elaboração dos planos directores municipais e localmente vai se efectuar apenas a revisão por existirem passos já conseguidos na matéria. “O Plano Director do Lubango vai ser adaptado aos novos instrumentos estratégicos vigentes, como o Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN), Plano de Desenvolvimento da Administração do Território (PLANEAT) e outros instrumentos orientadores”, referiu. Armando Vieira, que falava ao JE, recentente, naquela cidade, anunciou que a administração municipal do Lubango tem para 2019, um orçamento de kz 3.691.757.346,00, tendo havido o aumento de um incremento de kz 328.526.428,00, em relação a 2018.