A plataforma de transportes chinesa anunciou esta terça-feira uma parceria estratégica com os estónios da Taxify, empresa nascida em 2013 e que liga os passageiros aos taxistas através de uma aplicação. Sem indicar o montante do investimento, a Didi disse em comunicado que pretende ajudar no crescimento da Taxify e torná-la na maior empresa de transportes da Europa e de África, de acordo com a nota divulgada pela Reuters.
Com esta aposta, a empresa chinesa junta-se a uma plataforma de transportes de táxi, que não tem suscitado quaisquer protestos na Europa.
A Uber, pelo contrário, continua numa situação indefinida, enquanto a Comissão Europeia não determinar se esta é uma empresa de transportes ou se é um serviço digital que liga motoristas a utilizadores.
Em Portugal, a regulamentação das plataformas Uber e Cabify só deverá acontecer em setembro, após as férias parlamentares. A Taxify está actualmente presente em 20 países, sobretudo no Leste europeu e em África, e é semelhante à Mytaxi, ou seja, liga taxistas a consumidores e o pagamento pode ser efectuado em dinheiro ou com um cartão de crédito associado à aplicação. De acordo com a base de dados Crunchbase, a empresa estónia já recebeu cerca de dois milhões de euros em financiamento desde 2013. A Didi Chuxing lidera o mercado chinês deste tipo de plataformas, sobretudo depois da compra das operações da Uber, em Agosto de 2016.