Portugal é o quinto melhor país do mundo — e o melhor da Europa — para os expatriados, isto é, pessoas que por razões profissionais vão viver para outros países que não a sua nação de origem. Um estudo da Internations, uma comunidade internacional para expatriados, coloca Portugal no topo do mundo na sub-categoria de Qualidade de vida, com bons resultados também na segurança e na hospitalidade. Portugal é o país recomendado para quem quer “viver a vida boa”.
A edição de 2017 é a quarta edição anual do ranking Expat Insider, pela Internations, uma sondagem mundial sobre a vida dos expatriados. Participaram no estudo 12.500 pessoas, de 166 nacionalidades diferentes e a viverem em 188 países ou territórios distintos. A lista tem 65 lugares e entre os mais de 40 critérios para chegar à cotação final estão a satisfação com a vida profissional e a segurança. Também é tido em conta o custo de vida e as condições para a vida familiar.
No capítulo que dedica a Portugal, sugestivamente intitulado “viver a vida boa em Portugal“, a Internations nota que o país subiu uns “impressionantes 23 lugares” no ranking e destaca que, no sub-índice de “qualidade de vida“, Portugal está em primeiro lugar (seguido por Taiwan e Espanha). O estudo revelou que 93 por cento dos inquiridos estão satisfeitos com a vida em Portugal e 29 por cento dizem, mesmo, que estão “muito felizes” pelo facto de terem vindo viver para Portugal.
O sub-índice de “felicidade pessoal” tinha descido em 2016 mas voltou a subir em 2017, para o terceiro lugar a nível mundial. Já na categoria de “facilidade de adaptação” Portugal está em quarto lugar. Portugal é, também, um bom país para quem tem (ou procura) um relacionamento amoroso — 95 dizem-se satisfeitos com a vida amorosa (eram 76 por cento em 2016).
Os inquiridos mostram-se, também, mais confiantes em relação à estabilidade política e à questão crucial da segurança — um terço das respostas classifica esta rubrica como “muito boa”.
O Bahrein obteve a pontuação mais elevada graças à cultura hospitaleira e às oportunidades profissionais que ali existem. Em segundo lugar, a Costa Rica ficou bem colocada devido à cultura relaxada, o clima e a beleza do país. No último lugar do pódio, o México voltou a ficar em boa posição, com os inquiridos a referirem-se à escassa burocracia para quem vem de fora e a hospitalidade da cultura mexicana.
No fundo da lista (dos 65 países) estão a Grécia, o Kuwait e a Nigéria. Já entre os países que caíram mais no índice, em relação ao ano passado, estão a Polónia, a Austrália e a Ucrânia.