A economia portuguesa deverá crescer 1,4 por cento este ano e 1,6 por cento em 2015, acima de todas as previsões oficiais e da média da Zona Euro, antecipa o banco norte-americano. Optimismo assenta no impacto das reformas estruturais que atingiram uma “massa crítica” significativa.

“Portugal será provavelmente uma das economias que neste ano mais crescerão na Zona Euro, depois da Irlanda, Alemanha e Bélgica ”, antecipa o Morgan Stanley, que, numa análise sobre a situação da economia portuguesa, volta a inscrever as previsões que havia avançado em meados de Abril.

Nos seus cálculos, a economia portuguesa deverá crescer 1,4 por cento este ano e 1,6 por cento em 2015, acima das previsões oficiais que existem para Portugal e das estimativas do banco para a média da Zona Euro.

A Comissão Europeia estima que a economia portuguesa vai crescer 1,2 por cento este ano e 1,5 por cento em 2015, abaixo da previsão para a Zona Euro no próximo ano (1,7 por cento).

“Isso significa que poderemos assistir a uma rotação nas economias que mais contribuem para o crescimento do PIB na Zona Euro em 2014. Vindo da parte inferior do ranking, a economia portuguesa vai, a nosso ver, subir ao longo do tempo”.

O optimismo é justificado com o facto de a procura interna estar a recuperar ao lado de exportações, o que, na opinião do Morgan Stanley, reflecte o impacto das reformas estruturais.