Desde 1964 que o Tramagal é conhecido pela sua fábrica de pesados. Os camiões que transportaram os militares portugueses em Angola, Moçambique e Guiné na Guerra Colonial saíram destas linhas de montagem.
A inauguração, na altura, teve honras de Estado – Jorge Rosa, o presidente da Mitsubishi Fuso, lembra-se ainda de ver o Presidente da República Américo Thomaz a cortar a fita. Cinquenta e cinco anos depois, o barulho do motor a gasóleo foi trocado pelo silêncio das baterias. É a partir de Portugal que vão sair os primeiros camiões totalmente eléctricos do mundo. A produção em série dos Canter vai começar no final de 2019 na fábrica da Mitsubishi Fuso, no Tramagal. Este veículo vai servir sobretudo o mercado europeu, que procura cada vez mais estes pesados por causa das normas antipoluição nas cidades. Antes disso, a empresa vai reforçar, em Setembro, a produção dos Canter híbridos e a gasóleo e contratar mais 40 pessoas para a linha de montagem. Passará a dar emprego a mais de 500 operários.
“A partir de Setembro vamos admitir mais 40 pessoas para a produção, porque a procura o exige”, adianta o próprio Jorge Rosa, o líder da fábrica. A unidade do concelho de Abrantes também vai passar a montar mais camiões por dia: 54, em vez dos actuais 46. O reforço de produção irá levar a Mitsubishi Fuso a produzir dez mil camiões neste ano, aproximando-se do recorde das 11 714 unidades fabricadas em 2000. E a facturação deverá aproximar-se dos 250 milhões de euros, o que compara com os 230 milhões de receitas do ano passado. Mais de 90% dos camiões vão para o estrangeiro. Além de 30 países europeus, os Canter chegam a países como Marrocos e Turquia.