Os preços de combustíveis subiram a partir da quarta-feira última na África do Sul, constatou a Pana no local.

Registou-se uma alta de 74 centavos no preço do litro da gasolina e de 91 e 93 centavos para o gasóleo na África do Sul, após uma decisão governamental.

Esta alta surge ironicamente no dia seguinte do anúncio pelo Governo do aumento do crescimento da economia em torno de 1,4 por cento para
o I trimestre do ano 2019.

Consequentemente, muitos sul-africanos estão preocupados com repercussões negativas que esta alta dos preços do combustível terá sobre as populações, nomeadamente sobre os já parcos recursos das mesmas, em termos de transporte.

Segundo o ministro das Finanças, Tito Mboweni, os sul-africanos devem preparar-se para uma outra alta de 29 centavos nos preços do combustível por causa do aumento das taxas nos combustíveis que o Governo implementará a partir de 1 de Abril próximo.

Reagindo ao fenómeno, o principal partido da oposição sul-africana, a Aliança Democrática, acusou, quarta-feira, o Governo sul-africano de continuar a impor taxas sobre o combustível com vista a encher os cofres do Tesouro Público, objecto de má gestão e de desperdício, e alocar biliões de
rands a empresas nacionais.

"Os 59 biliões de rands (4,8 biliões de dólares americanos), utilizados pelo Governo para encher os cofres das empresas públicas, poderiam ser utilizados como subsídios para reduzir as taxas aplicadas sobre o combustível", indignou-se o parlamentar da DA, Kevin Mileham.

Acrescentou que o seu partido vai continuar a lutar para conseguir um mecanismo estável de fixação dos preços do combustível a favor
de todos os sul-africanos.