O Governo moçambicano prevê assinalar a 1 de Novembro de 2022, a saída do primeiro navio cargueiro com exportação de gás natural moçambicano da bacia do Rovuma, norte do país, disse na passada terça-feira, à Lusa fonte governamental.
O início da produção naquela zona está previsto para 1 de Junho de 2022 a partir da plataforma flutuante da Área 04, e cinco meses depois “deverá ser assinalada a saída do primeiro navio cargueiro contendo gás”, referiu.
Os depósitos de gás natural que se encontram na crosta terrestre, abaixo do fundo do mar na baixa do Rovuma, prometem colocar Moçambique na lista dos principais exportadores mundiais de gás natural líquido e impulsionar a economia do país.
Dois consórcios estão a construir as infra-estruturas de exploração nas áreas 01 e 04 ao largo de Cabo Delgado e a primeira a entrar em actividade será a Área 04 liderada pela ENI e Exxon Mobil.
A operação arranca com uma plataforma flutuante que vai sugar o gás de seis depósitos, transformá-lo em líquido e exportá-lo para cargueiros, plataforma cujo casco começou a ser construído na quinta-feira, num estaleiro coreano – a data será assinalada com uma cerimónia oficial.
Noutras previsões sobre a plataforma da Área 04, o Governo moçambicano prevê que, durante a fase de operação, o projecto crie 820 novos postos de trabalho (contratos directos e indirectos).
O consórcio da Área 04 é constituído pela ExxonMobil, Eni e CNODC – China National Oil and Gas Exploration and Development Corporation que conjuntamente detém uma participação de 70por cento, cabendo três parcelas de 10 à coreana Kogas, Galp Energia e Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH) de Moçambique.