O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou que vai transferir o equivalente a 27,3 milhões de Euros para a República Centro-Africana, no contexto do programa de concessão de facilidades de crédito (ECF).
O ECF fornece um apoio à longo prazo aos países com problemas na balança de pagamentos e essa transferência eleva para 105,2 milhões de Euros o total transferido ao abrigo daquele programa.
Desde 2013 que a quase totalidade da RCA está sob o controlo de grupos armados e milícias, que cometem violências e abusos contra as populações civis.
Uma missão da Organização das Nações Unidas (MINUSCA), presente no país, desde 2014, e um Exército nacional, em formação, procuram restabelecer a ordem.
O governo do Presidente Faustin Touadera controla cerca de um quinto do território. O resto é dividido por pelo menos 14 milícias, que, na sua maioria, procuram obter dinheiro através de raptos, extorsão, bloqueio de vias de comunicação, recursos minerais (diamantes e ouro, entre outros) e abate de elefantes para vender o marfim.
O conflito na RCA já provocou 700 mil deslocados e 570 mil refugiados e colocou 2,5 milhões de pessoas a necessitarem de ajuda humanitária