O Governo do Japão apostou na ADRA, para gerir as obras de construção da escola primária da Ribeira Funda. Uma escola de 4 salas de aulas, dois escritórios, dois armazéns,e duas casas de banho.
O centro de ensino, que deverá estar concluído dentro de 6 meses, vai evitar a deslocação das crianças da Roça Ribeira Funda, para a cidade de Neves no norte de São Tomé.
Maasaki Sato, embaixador do Japão para São Tomé e Príncipe, com residência no Gabão, lançou na companhia do representante da ONG ADRA, as primeiras pedras que vão erguer a nova escola da Ribeira Funda. “Ao financiar este projecto o Governo do Japão espera melhorar o acesso ao ensino. O crescimento infantil saudável é um dos fundamentos mais importantes para o desenvolvimento sustentável, e é um desafio para o futuro do país”, afirmou o embaixador nipónico.
As crianças da Ribeira Funda, reagiram com satisfação ao lançamento da obra, que começa a ser executada no mês de Novembro próximo.
Depois da Ribeira Funda, Maasaki Sato, deu um salto até a cidade de Neves, onde o Japão construiu a sede da Associação de Pescadores de Santola. A infra-estrutura que foi apetrechada também com o financiamento do Japão custou mais de 115 mil euros. “É um projecto importante para nós, porque permite melhorar as condições de pesca, conservação e venda de santolas”, afirmou.