O comissário europeu de energia, Guenther Oettinger, não espera que a Rússia interrompa o fornecimento de gás natural para a Europa devido à crise na Ucrânia, afirmou a autoridade à revista alemã Wirtschaftswoche, em entrevista publicada esta semana.

“Eu não acredito que isso seria do interesse da Rússia”, afirmou Oettinger à revista.

A gigante petrolífera russa Gazprom emitiu um alerta dizendo que poderia interromper seu fornecimento de gás natural para a Ucrânia por inadimplência. O território ucraniano é uma importante passagem do gás da Rússia para a União Europeia (UE), que compra do país aproximadamente um quarto de todo o seu consumo.

Mas Oettinger afirmou que interromper o fornecimento não seria benéfico para a empresa: “A Gazprom tem interesse na sua receita diária com a venda, para que o investimento valha a pena e lucro seja gerado”.

Oettinger disse que, se a Rússia interromper o fornecimento para a Ucrânia, afectaria 14 por cento do consumo europeu.

No início de 2009, a Rússia cortou o fornecimento do gás para a Ucrânia por inadimplência, causando reduções no abastecimento europeu em pleno Inverno.

Mas Oettinger disse que a Europa está mais bem-preparada para lidar com tal cenário, já que o Inverno foi suave, os stock de gás estão maiores do que há um ano e os países da UE agora são obrigados a garantir um stock.