O primeiro porto interior moderno do Rwanda, situado em Masaka, arredores de Kigali, para estimular o comércio intra-africano, foi inaugurado na passada segunda-feira, pelo presidente Paul Kagamé.
A unidade portuária oferece vantagens financeiras e reduz os tempos de tratamento dos navios para incentivar o comércio com os outros países africanos.
Nesta primeira fase, o Governo rwandês e o grupo Dubai Ports World Group (DPW) assinaram um acordo de investimento de 80 milhões de dólares americanos, para a exploração da plataforma nos próximos 25 anos.
Projecto
A nova plataforma compreende um terminal de 19 mil quilómetros quadrados com uma capacidade de recepção de contentores, um gabinete de controlo aduaneiro, um gabinete fiscal, infra-estruturas IT e bancárias bem como serviços
de manutenção e reparação.
Possui ainda dois entrepostos de 19.600 quilómetros quadrados com capacidade anual estimada em 640 mil toneladas cada, segundo Sumeet Bhardwaj, presidente-director-geral
da DPW Logistics (Rwanda).
Na sua declaração feita durante a inauguração desta nova plataforma, o Presidente Kagamé disse que o Governo está encorajado para
ver o êxito deste projecto.
“O objectivo é manter este ambiente de negócios favorável e adaptar-se ao conceito de inovação”, disse o presidente rwandês.
A infra-estrutura deverá também reduzir os custos de transporte e aumentar os lucros para as empresas graças à redução do tempo de tratamento
dos camiões e contentores.
A segunda fase de expansão desta infra-estrutura estará centrada na introdução das novas tecnologias, como a armazenagem refrigerada para facilitar a manutenção das mercadorias perecíveis.
A expansão da infra-estrutura durante esta segunda fase será instaurada ao mesmo tempo que a Zona de Comércio Livre Continental Africana (ZCLCA).