O ministro sul-africano do Comércio e Indústria, Rob Davies, visitou recentemente, a Árabia Saudita, soube a PANAPRESS de fonte oficial na Cidade do Cabo.
A viagem visou “buscar” os 10 biliões de dólares americanos prometidos pela Arábia Saudita destinados a ser investidos na economia sul-africana.
A iniciativa inscreve-se no quadro duma promessa feita pelo Presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, de atrair 100 biliões de dólares americanos para relançar a economia nacional confrontada com dificuldades derivadas da corrupção.
O acordo com a Arábia Saudita deve permitir investir fundos nos sectores da energia e da electricidade, de acordo com o governante sul-africano que preside à oitava sessão da Comissão Económica Conjunta África do Sul/Arábia Saudita.

Fórum de Negócios
Davies, à frente duma forte delegação governamental, vai pronunciar um discurso no Fórum de Negócios que se realizou na Câmara de Comércio de Riade, a capital árabe, que reúne empresários dos dois países.
Várias reuniões bilaterais com ministros e investidores sauditas estão previstas a fim de permitirão abordar a criação de mecanismos relativamente à promessa de 10 biliões de dólares americanos, indicou a delegação sul-africana num comunicado transmitido à PANA.
Em Julho, a China anunciou que ia investir 15 milhões de dólares americanos na África do Sul para lhe fornecer um complemento de electricidade.

Promover mais cooperação
Em Julho, o presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, visitou a Arábia Saudita, no quadro de uma digressão a três países com uma agenda que dá prioridade ao aumento do investimento e a diversificação das relações comerciais entre os dois países.
O propósito da visita de Estado ao Reino da Arábia Saudita foi o de avaliar o estado das relações bilaterais e priorizar o reforço dos laços económicos bilaterais e diversificação do comércio.
Dados oficiais estimam que a África do Sul actualmente importa da Arábia Saudita 47 por cento do petróleo que consome.
Segundo as estatísticas oficiais, nos últimos seis anos o comércio bilateral aumentou rapidamente, passando de seis mil milhões de rands (cerca de 445 milhões de dólares) em 2011, para no ano passado atingir os 38,2 milhões de rands (mais de dois mil e 800 milhões de dólares).