O Quénia está na liderança em números absolutos de milionários, enquanto a pontuação mais alta foi para o Uganda em distribuição da riqueza. Já na Tanzânia verifica-se a criação de milionários de forma mais rápida do que em qualquer outro país do Leste africano.

A informação é da Africareview.com. No chamado “Livro Africano de Riqueza de 2013” é dado especial enfoque ao modelo de crescimento económico na Tanzânia. No comparativo entre os países mais ricos, refere o estudo que enquanto a Tanzânia tinha 3700 milionários em 2007, este número subiu para 5600 em 2013.

A Tanzânia é segundo na região, sendo que o Quénia é o primeiro país regional que está entre o “top 10” em África. O Quénia é apresentado no relatório como tendo 8300 milionários em 2013 contra externo6700 em 2007, mais 24 por cento. O relatório, elaborado pela New World Wealth, define milionários (ou “high net worth individuals”), como aqueles cujo património líquido é igual ou superior a um milhão de dólares americanos, excluindo o valor da habitação permanente. O levantamento inclui apenas os países que tinham mais de 800 milionários em 2013.

A mais rápida aceleração da Tanzânia deve ser entendida no contexto de um país que vem de um crescimento baixo. Depois de décadas de uma economia sob o comando do Governo que controlava a maior parte da riqueza, a liberalização económica está a potenciar novos investidores privados.