O governo tanzaniano anunciou a “nacionalização” dos diamantes de valor estimado a 29,5 milhões de dólares após ter acusado a companhia britânica Petra Diamonds, proprietária da mina, de ter subfacturado o valor.
Contactado pela televisão governamental TBC 1, o ministro das Finanças, Philip Mpango, anunciou ter “nacionalizado” estes diamantes, extraídos da mina Williamson Diamonds, detida em 75 por cento pela Petra Diamonds e em 25 pelo governo tanzaniano.
Os diamantes foram apreendidos a 31 de Agosto no aeroporto internacional de Dar es Salaam no momento em que partiam para a Bélgica.
Segundo as autoridades tanzanianas, os documentos da Williamson Diamonds indicavam uma carga estimada em 14,7 milhões de dólares, enquanto o valor real dos diamantes, cujo peso foi deliberadamente subfacturado, estava orçado
em 29,5 milhões de dólares.
“Os documentos da companhia Williamson Diamonds dão a estes diamantes o valor de 14,7 milhões de dólares (antes da comercialização), quando o valor real é de 29,5”, indicou o ministério das Finanças num comunicado publicado.
Na quinta-feira passada, dois dirigentes do sector mineiro, citados em relatórios parlamentares sobre alegados desfalques ligados à extracção e ao comércio de diamantes, demitiram-se das funções por ordem do presidente John Magufuli.
Trata-se do ex-ministro das Minas, George Simbachawene, que até à sua demissão era ministro de Estado encarregue das Colectividades Locais, e o antigo chefe da Companhia nacional das minas (STAMICO), Edwin Ngonyani, e vice-ministro das Obras Públicas e Transportes até quinta-feira.
Os dois ministros demitiram-se por ordem do presidente Magufuli, que acabava de receber as conclusões de dois relatórios parlamentares que os punha em causa.
O presidente Magufuli exigiu que todos os responsáveis governamentais actuais citados nesta investigação se demitissem de livre vontade, sem esperar que sejam exonerados.