O índice, que mede a actividade industrial e nos serviços na Zona Euro, terá ficado em 56,8 pontos em Maio, valor que se tinha registado em Abril. O número compara ainda com a estimativa dos economistas consultados pela Bloomberg, que previam um PMI nos 56,7 pontos.
“Os dados do PMI indicam que o crescimento na zona euro continua notavelmente robusta em Maio”, comentou o economista-chefe da IHS Markit, Chris Williamson, citado no relatório. “A actividade empresarial está a crescer ao ritmo mais rápido em seis anos, no II semestre, consistente com um crescimento do PIB entre 0,6 e 0,7 por cento. A previsão consensual de um crescimento de 0,4 por cento no II trimestre poderá provar-se demasiado pessimista se o PMI mantiver o nível elevado em Junho”.
O PMI foi impulsionado especialmente pela actividade industrial, que subiu para 58,4 pontos em Maio, dos 57,9 pontos no mês anterior. Por outro lado, os serviços desceram para 56,2 pontos, menos 0,2 do que no mês anterior. A criação de emprego aumentou para o nível mais elevado em quase 10 anos. “A capacidade está a ser pressionada pela força da procura, com a acumulação de trabalho a mostrar um dos maiores aumentos nos últimos seis anos”, disse.