A indústria privada da Zona do Euro voltou inesperadamente a crescer neste mês, à medida que as fábricas elevaram a produção pela primeira vez em mais de um ano, sinalizaram na segunda- - feira pesquisas preliminares de índice de gerentes de compras (PMI).

O PMI, composto preliminar do Markit, um bom indicador de crescimento com base em pesquisas junto a milhares de empresas em toda a região, saltou para uma máxima em 18 meses de 50,4 em Julho, ante 48,87 por cento em Junho.

O resultado superou até a previsão mais optimista em pesquisa da Reuters e marcou o primeiro mês em que o PMI ficou acima da marca de 50, que separa crescimento de contracção, desde Janeiro de 2012.
“É um cenário bastante encorajador e bem generalizado.

A Alemanha está liderando o grupo, seguida da França, mas mesmo a periferia... está a ver um retorno ao crescimento na indústria”,
disse o economista-chefe do Markit, Chris Williamson.

Williamson disse que os últimos resultados indicam um crescimento de 0,1 por cento do produto interno bruto (PIB) no bloco de 17 países neste trimestre, em linha com pesquisa da Reuters realizada neste mês.

O PMI preliminar de indústria subiu acima da marca de 50 pela primeira vez em dois anos, chegando a 50,1, acima dos 48,8 de Junho e de todas as expectativas em pesquisa da Reuters com 36 economistas.

Já o PMI sobre as empresas de serviços, que compõem a maior parte da economia do bloco, saltou para 49,6 neste mês ante 48,3. O resultado ficou bem acima da mediana na pesquisa da Reuters de 48,7 e foi a maior leitura desde Janeiro de 2012